O uso das cores na disputa por atenção

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Diariamente as pessoas na internet são bombardeadas por imagens que tentam conquistar a atenção, o que cada vez mais tem representado um desafio para os designers e profissionais de marketing também.

Afinal, é alto o crescimento de conteúdos nas mídias sociais, seja de postagens pessoais ou de caráter institucional. Por esse motivo, a simples presença online não irá trazer grandes resultados a menos que cada ação seja pensada com cuidado.  E o foco desta postagem é exatamente relacionar algumas dicas de como as cores podem ser mais bem trabalhadas com o objetivo de atrair a atenção do cliente online em potencial.

Para começar, a escolha da cor da marca é fundamental para ajudar na percepção e diferencial da marca frente a seu público. O reconhecimento da marca pode levar as empresas a ter sucesso tão rápido como a falta desse reconhecimento pode levar ao fracasso. Um público tem uma tendência a ganhar um sentimento de apego a uma determinada marca com base apenas na percepção visual.

Estudos indicam que a cor aumenta o reconhecimento da marca por mais de 80%. A seleção de uma cor específica ou um esquema de cores para a sua marca pode contribuir para uma recepção positiva ou negativa a partir de seu público. As cores podem fazer com que a sua marca tenha um ar intrigante, emocionante, atraente , assim como ele pode fazer com que pareça pretensiosa, sem brilho, gananciosa.

Diante disso, não é bem novidade destacar que as cores também atraem a atenção.  Estudos mostram que imagens em preto e branco atraem a atenção por menos de dois terços de segundo, e imagens coloridas retém a atenção por dois segundos ou mais.

As empresas bem sucedidas estão capitalizando sobre a oportunidade que se apresenta no uso das cores. Um dos melhores exemplos disso é o caso dos iMacs da Apple. A Apple trouxe cor para um mercado onde a cor não tinha sido visto antes, e ficou famosa por cunhar a frase: “Não tem que ser bege.” Os iMacs coloridos revigoraram a marca que tinha sofrido mais de 1,8 bilhões dólares de prejuízos em dois anos antes do lançamento do produto.

É claro que isso não quer dizer que o uso da cor em si vai ser o único fator responsável pelo bom desempenho de vendas de um produto. Isso acontece devido a um somatório de questões dentre as quais as cores desempenham um papel fundamental. Meio que na contramão do que temos dito, a título de exemplo, temos o caso da Heinz. Embora o ketchup verde tenha atraído a atenção de muitas pessoas, as vendas do produto caíram após os primeiros meses de seu lançamento.

As cores contribuem ainda para alcançar o segmento mais específico de público.  Por exemplo, o espectro de cores que chama a atenção das mulheres não é o mesmo que agrada aos homens. Da mesma forma, as crianças e os adultos reagem de forma diferente a determinadas cores.

Designers devem ter uma compreensão abrangente das propriedades de cor, o que elas representam e para quem. Usar um esquema de cores que apela para o tipo de público que se está procurando é uma parte importante para um projeto eficaz.

Outro papel importante que as cores desempenham é tornar mais fácil a retenção da informação. A cor deixa um impacto duradouro na  memória e na percepção. Um estudo verificou que o uso de cor pode melhorar a leitura em 40%,  facilitar o aprendizado em até 78% e a compreensão em cerca de 73%. E vale destacar que as cores representam mais da metade das informações que as pessoas recebem a todo o momento.

Portanto, escolher o esquema de cores certas para o seu projeto é uma parte importante da elaboração de uma imagem de marca forte e eficaz.  Um projeto bem trabalhado trará mais resultados do que escolhas ao acaso.

Via Marketing Profs