Como evitar a Blacklist

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Atualmente o grande número de envio de spam está obrigando os grandes provedores de e-mail a ficarem cada dia mais rigorosos em relação ao recebimento de mensagens.

É comum ouvir se falar em controle de spam com o recurso Blacklist.

Responsável por bloquear automaticamente e-mails nos servidores, a Blacklist é a ‘lista negra’ onde são inseridos os domínios não confiáveis. O processo de filtro dos que são ou não remetentes positivos ou negativos, são realizados por organismos reguladores que possuem um sistema de monitoramento para avaliar as atividades e o comportamento de quem envia as mensagens, e os números de reclamação que os usuários recebem.

As listas negras são divididas em três tipos:

Listas Públicas – São listas alimentadas por provedores e servidores corporativos.

Listas Corporativas – Cada servidor ou provedor corporativo possui uma lista negra própria com endereços de IP de servidores suspeitos da prática do spam, que distribuem para listas públicas.

Listas Pessoais – Provedores já oferecem para seus usuários a opção de criar suas listas pessoais, e estas podem bloquear o endereço de e-mail e não o servidor do remetente. Sendo assim, outras empresas que estiverem utilizando o mesmo provedor não serão bloqueadas, pois o endereço de e-mail de remetente será diferente.

Para combater o spam é necessário um trabalho conjunto que exige cooperação de todos os envolvidos como: remetentes, destinatários, provedores e também empresas de e-mail marketing e governo.

Fonte: Livro ‘Estratégia de E-mail Marketing – Como obter resultados através do marketing direto na internet’